FRANKENSTEIN: ou o Prometeu Moderno de Mery Shelley

segunda-feira, 3 de setembro de 2018


Existem muitas edições dessa história. Umas lindíssimas outras mais simples como essa que tenho que contém mais outras duas histórias clássicas que serviram de patamar para tantas outras histórias de fantasia que surgiram. Todo esse universo de seres “inumanos” tem muito que venerar essas obras.

Eu já tinha ouvido falar muito sobre Frankenstein, assim como já tinha assistido alguns filmes (isso a bastante tempo), e no geral o que eu sabia era que existia esse “mostro” que tinha sido criado a partir de pedaços de outros cadáveres, porém não é bem por aí que a história é permeada.

Frankenstein é o criador e não a criatura. A criação dessa criatura que não tem nome não é bem detalhada, pois Frankenstein não quer que outras pessoas reproduzam o que ele fez. Porém o resultado final é bem aquilo que a gente tem em mente, um ser desproporcional, feio e grande.

O livro é narrado em formas de cartas que R. Walton manda para a sua irmã sra. Saville, onde ele conta a história de Frankenstein logo após encontrá-lo em meio a gelo. E assim que ficamos sabemos de todo a trajetória do criador e de sua criatura.

No prefácio escrito pela própria autora, ficamos sabendo como surgiu a inspiração para sua história, o que era para ser apenas um conto tomou forma e se tornou um livro.

A narrativa apresenta duas perspectivas distintas. Se por um lado é compreensivo as decisões/pensamentos de Frankenstein ao fugir de sua criação, também é triste ver a criatura que acabou de nascer ter que se virar sozinho no mundo. É nítido também a dualidade em relação a moralidade e principalmente a natureza humana. Um aspecto importante é vê os costumes daquela época descritos na narrativa do livro.

Não é apenas um grande clássico. É bem mais do que um livro sobre uma criatura bizarra. Mary Shelley fez de uma pequena inspiração um grande livro.

Leiam. Apreciem.




2 comentários:

  1. Oi Dany!! Tudo bem?
    Como a maioria aqui, eu já ouvi falar muito sobre essa história e pretendo ler o livro em breve, pois na íntegra mesmo eu não conheço. Adorei a sua resenha.
    Obrigada pela visitinha no meu blog.
    Volte sempre!

    ~ miiistoquente

    ResponderExcluir
  2. Oi, Dany!
    Tenho curiosidade por essa história.
    A gente sabe sobre ela, mas na verdade tem pouca informação, tanto que quase todo mundo acha que Frankestein é o monstro, não o criador.
    Quero ler!

    Beijooos

    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir